Adoramos trocas. E tudo são truques para levar bem o leitor até o fim do texto. Esse fim chama-se “hora da caminha”. E não há leitor mais traquinas que o nosso Tigas, que é capaz de virar o livro do dia todinho ao contrário.

Tirar e trocar de lugar, tudo são só formas de arejar as coisas ou os cantos do lar. Mas o seu passatempo preferido é pressionar botões, da máquina de lavar, da televisão ou do telemóvel. Sim, ele também o faz! Ou abrir, empurrar e fechar portas. Ah, e andar de carrinho, em cima, atrás, de pernas para o ar (o carrinho…), a correr ou só a passear. Depois há o correr com a mana. A rir, rir muito, rir tanto até tossir (por vezes engasga-se e, se calhar, deita cá para fora o manjar…). Claro, há o suar, nada de anormal na frente frontal para este Tiago da Tasmânia.

E eis que algo se passa para deixar de se passar: uma refeição!

A serenidade, o silêncio… quando todo o vento se acalma, tudo fica estranhamente tranquilo: demoramos o que parece uma eternidade para chegar ao fundo da tigela. É extraordinário, este contraste. Mas sabemos por experiência do que se trata: a força da natureza vai voltar. Não estamos sós, estamos só no olho do furacão…

Isto é um exemplo-modelo, obviamente.
Nem sempre é assim. Também há as actividades com a mamã, às quais (actividades e mamã) se dedica com pica. Desenhar tempestades (de tudo…), pintar o papel (ou as mãos), colar autocolantes (ou rasgá-los), moldar plasticina (ou atirá-la), desmontar peças de lego ou molas da roupa, tirar tampas, encaixar matrioskas, teclar no piano, etc. são até tarefas que o mantêm no mesmo lugar durante alguns minutos.
Depois a energia volta a mostrar do que é capaz…

(Se o chão se gastasse tanto quanto os sapatos, já estaríamos a pisar a terra!)
(Vá, uma hipérbole de vez em quando costuma dar um colorido ao texto…)

Nem todos os edifícios são à prova de Tiagos sísmicos, mas quando já na caminha, de luz apagada, continua a praticar a sua Língua (e é boa esta explosão de novas palavras que ele vai aperfeiçoando), sabemos que não passam já de réplicas, como o som do trovão, que se vai afastando…

É cansativo, sobretudo para a mamã, com quem está mais tempo. Para ele, parece que nada.
Parece, porque o seu sono perfeito é feito de pequenos nadas como esses.

E no dia seguinte, tudo está de novo de pé.

Depressa ou devagar, todos transpiramos sorrisos.

 

O papá.

2 thoughts on “Mas que Tiago vem a ser isto??”

  1. Apesar de ser um conteúdo forte ….. tudo parece feito com muita leveza …😍😍
    Muita força papás e continuem a acreditar
    😘😘😘😘 aos 4

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *